Precisamos nos acostumar a pedir ajuda

Por Team Amplifica · 17 de dezembro de 2020

Você se acha uma pessoa mais aberta ou fechada? Como se sairia na seguinte situação: São 19h30, você está com problemas técnicos, precisa entregar um trabalho na manhã seguinte às 9h e tem um colega de trabalho que é muito bom com a plataforma em que os dois trabalham. Você sabe que pode contar com a ajuda dele, mas precisa ligar agora, tarde da noite. Qual a sua decisão?

Muitas pessoas sentem receio de pedir ajuda por se sentirem incompetentes, ineficientes, como se demonstrar não-saber fosse um buraco em sua armadura possibilitando um ataque direto ao seu ego.

“Na verdade, se você souber fazer um pedido do jeito certo, você parece ainda mais competente, não menos. É libertador entender isso e poder se empoderar para apenas… perguntar”, diz Wayne Baker, autor do livro PEÇA! Como a habilidade de pedir ajuda pode transformar sua carreira.

Diferente do que espera, ao se abrir para possibilidade de buscar recurso em outra pessoa o resultado por ser compartilhamento e cumplicidade. Pense comigo: Se no momento de necessidade você foi ao seu amigo, ele vai entender que você deposita nele confiança e referência em algo. Esse movimento empodera a outra pessoa e como recompensa por sua iniciativa, te faz parecer mais acessível. 

O PEDIDO NA GARRAFA

Ok. Você está decidido a se tornar mais aberto e pedir, mas como fazê-lo da melhor forma?

Parte de pedir ajuda é ter uma narrativa boa, mas você não pode se perder em algo muito amplo. Tenha certeza do que quer e qual o recurso que precisa para isso. É algo bem aberto, que pode ser informação, dados, apoio político, patrocínio… Sabendo isso, você faz um pedido na fórmula “SMART”. A sigla (em inglês) significa que um pedido precisa ser: específico, ter uma razão, exigir uma ação, ser realista e ter um prazo.    

Algumas vezes, as pessoas não sabem o que querem pedir. Mas, entre os pontos da sigla, os maiores erros estão na razão e tempo. As pessoas esquecem de dar um prazo para seus pedidos e de explicar sua motivação. Assim, mesmo pedindo, não conseguem ajuda. 

REMANDO JUNTOS ATÉ A PRAIA

Vivemos uma pandemia (o vírus ainda não foi embora) e por mais que já estejamos por dentro das mudanças maiores ou menores da nossa vida, precisamos ter em mente que não estamos sozinhos. A mudança para o digital aconteceu para todos, mas nem todos ainda são digitais. A conversão de papéis para telas é uma realidade em muitas escolas, mas não para todas.

Não sabemos qual é a sua realidade e nunca te julgaremos por ela, mas queremos que você saiba que estamos aqui para dividir conhecimento que te faça alcançar bons resultados. Pergunte, fale, estimule essa prática entre seus parceiros e nos ajude a criar uma comunidade mais humana e menos distante.

Hoje o assunto foi rápido, mas você pode ler a nossa referência bem AQUI.

Quer compartilhar umas ideias, medos, fraquezas ou só nos mostrar um pouco da sua realidade? Acesse o link abaixo e entre para o nosso grupo do Telegram. Lá a gente fala de tudo um pouco e temos ainda mais conteúdos legais (e exclusivos) para você. 

conheça o autor

Team Amplifica

"Somos todos amplifica, levando nossa energia e magia para educadores em todo o Brasil, capacitando e potencializando talentos digitais na educação. "

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

veja mais

artigos

Mostra do conhecimento do professor ou dos alunos?

NÃO quero a MIGALHA, quero o BOLO!

7 de setembro de 2021 . Por Rodrigo Baglini

Já escrevi sobre muitas angústias de professores e professoras aqui no blog, aflições de notas, planos de aula, mostra do […]

Saiba mais
Blogpost Rodrigo Baglini

Após mais de um ano “offline” começo a ficar “online” novamente!

17 de agosto de 2021 . Por Rodrigo Baglini

Segunda-feira, o despertador tocou às 5h30, a cama me empurrou como se não houvesse os dez minutos de soneca que, […]

Saiba mais
Não posso agora! Tenho que fechar as notas

Não posso agora! Tenho que fechar as notas

13 de julho de 2021 . Por Rodrigo Baglini

O fim de um semestre está chegando e com ele a corrida frenética para alimentar o GRANDE IRMÃO (apelido carinhoso do sistema na escola que trabalho).

Saiba mais

2020 | Site por Oni Design de negócios

Share via
Copy link
Powered by Social Snap